Articulamos

Fomentamos, apoiamos e participamos de diversas redes. Acreditamos que somente assim podemos mudar realidades, juntos, somando capacidades e aprendendo a viver em comunidade. São diversas as expressões de rede e comunidade que a Agroecologia se adere e o Giramundo pratica esta forma de relação em todas as suas ações. Quanto mais articulados estivermos, mais fortalecemos a Agroecologia e as pessoas envolvidas.

Conheça algumas das articulações e redes que fazemos parte:

Participamos da Articulação Paulista de Agroecologia (Rede APA) desde 2001 e da Articulação Nacional de Agroecologia – ANA (palavra com link) desde 2002. Já elaboramos diversos projetos e realizamos muitos eventos para a APA, que conta com mais de 200 organizações e milhares de famílias agricultoras envolvidas.

Compomos a Rede Coalizão dos Povos pela Soberania Alimentar (PCFS - People´s Coalition for Food Sovereignty) desde 2013. Esta rede articula mais de 360 organizações da sociedade civil da Ásia, África e América, com a finalidade de incidência política nos espaços decisórios mundiais em favor da Soberania Alimentar.

Fazemos parte de uma rede de profissionais chamada Co-Labore

Somos participantes do Coletivo Feminista de Botucatu, que articula outros coletivos da cidade, como o Coletivo Genis, o Feminóia, o Círculo de Afrodite, entre outros. Acreditamos que sem feminismo, não há Agroecologia e que, somente igualando direitos, podemos construir uma nova sociedade.

Participamos da rede que criou o Programa Gigante Guarani (palavra com link) que visa construir projetos para preservar o Sistema Aquífero Guarani, o segundo maior reservatório de água doce do mundo, constantemente ameaçado por práticas agrícolas insustentáveis, como monocultivos, uso excessivo de agrotóxicos e fertilizantes químicos, desmatamentos, entre outros.

Compomos, ainda, Conselhos Municipais entre outros, como o de Segurança Alimentar e Nutricional (COMSAN - Botucatu), o de Políticas para Mulheres e o de Manejo da Área de Proteção Ambiental Botucatu-Corumbataí-Tejupá. Em todos os conselhos contribuímos na construção de alternativas que passam pela valorização da Agricultura Familiar, da Mulher e da Agroecologia.

Pesquisamos

Já realizamos vários projetos de pesquisa, muitos em parceria com a Universidade, mas sempre priorizando as pessoas que mais precisam e a geração de conhecimentos úteis para a transformação das realidades. Fazemos Ciência com as pessoas, garantindo a participação da comunidade desde a elaboração dos objetivos até a monitoramento dos resultados. Agroecologia se faz por meio de experimentação participativa. É no processo de construir conhecimento agroecológico que se educa e se investiga, de forma horizontal e atendendo as demandas das pessoas.

Conheça alguns dos Projetos de pesquisa que já realizamos:

Núcleo de Apoio a Extensão Rural Agroecológica no âmbito da Articulação Paulista de Agroecologia: diálogos intercientíficos e a construção do conhecimento agroecológico nas regiões centro oeste e sudoeste do Estado de São Paulo. Desenvolvido em parceria com a UNESP/Botucatu e apoiado pelo CNPq – 2014 a 2017

Extensão Rural Agroecológica no âmbito da Articulação Paulista de Agroecologia: unidades de referência, formação de formador, redes de apoio técnico e de consumo e mecanismos participativos de garantia da qualidade orgânica” desenvolvido em parceria com a UNESP/Botucatu e apoiado pelo CNPq – 2012-2013

Transição Agroecológica: sistematização e avaliação das estratégias de ATER do Programa de Extensão Rural Agroecológica – PROGERA no centro-sul e sudoeste do Estado de São Paulo desenvolvido com a UFRRJ” e apoiado pelo CNPq. – 2009 a 2011

Agroecologia e educação ambiental no ensino superior: construindo uma nova profissão por meio do ensino e a prática da extensão rural agroecológica nas diferentes regiões do País. Desenvolvido em parceria com a UNESP/Botucatu e apoiado pelo CNPq – 2009 a 2010

Fomento à rede de pesquisa participativa e ATER agroecológica através da formação de agentes agroflorestais no âmbito da Articulação Paulista de Agroecologia. Desenvolvido em parceria com o IEA e apoiado pelo CNPq – 2008 a 2010

Alimentação animal, geração de renda e melhoria da qualidade de sistemas de produção animal do Assentamento Zumbi dos palmares. Desenvolvido com apoio do CNPq. 2006 a 2008

O Giramundo integra o grupo Ibero-americano de pesquisa ligado a iniciativa OSALA - Obervatório de SIstematização de Experiências Agroecológicas na América Latina e o Centro de Ciência e Tecnologia em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional da UNESP - Universidade Estadual Paulista.

Educamos e aprendemos

O Instituto realiza diversas atividades e eventos educativos em âmbito municipal, regional, nacional e internacional. Nestas atividades, construímos conhecimentos valiosos com a ajuda de muitos profissionais experientes e facilitamos o acesso das pessoas que não possuem muitos recursos para que todos possam ter a oportunidade de participar.

Conheça alguns eventos que desenvolvemos

Em julho de 2001 realizou o I Encontro Internacional de Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável e a Feira Regional de Produtos Orgânicos, Artesanato e Cultura de Botucatu e Região. O Encontro reuniu 600 participantes de 14 estados brasileiros e 5 paises, com repercussão nacional e internacional. A Feira foi visitada por 1500 pessoas da região (ver www.mutuando.org.br).

Em janeiro de 2002 a Organização realizou o evento “Façamos do Mundo a Terra de Todos”, que contou com atividades culturais diversas, sensibilizando a população local a respeito da questão do uso sustentável da terra no Brasil e no Mundo.

Ainda em 2002, em parceria com as Secretarias de Turismo e Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Botucatu, o Instituto realizou a Oficina Geradora de Turismo Ecológico destinada a pensar o turismo em Botucatu, por meio do enfoque participativo.

I Fórum Local de Desenvolvimento Sustentável, realizado em junho de 2005, o qual envolveu 23 organizações como co-organizadoras do evento.

O Giramundo realizou, em agosto de 2005, o II Encontro Internacional de Agroecologia e Desenvolvimento Rural, que contou com a participação de 400 agricultores de todo o Estado de São Paulo e 1000 profissionais e estudantes da área das Ciências Agrárias de âmbito nacional.

Em junho de 2007 realizou o Seminário Nacional de formação em Agroecologia fortalecendo e concretizando em âmbito nacional seu papel de formador sobre o tema.

Em 2013 realizamos o III Encontro Internacional de Agroecologia, trazendo 80 palestrantes do mundo todo e 2.300 participantes durante quatro dias em Botucatu

Em 2016 realizamos a Feira de Saberes, Sabores e Sementes e já estamos na terceira edição.

Conheça nossos cursos: (repetir os cursos do Co-labore e levar para link)

Comunicamos

Entendemos que precisamos nos aprofundar no uso da comunicação e das mídias sociais e visuais. A Agroecologia precisa de estratégias que mostrem caminhos alternativos ao atual modelo agrícola, que se mostra cada vez mais insustentável, concentrando os meios de produção a partir da destruição dos acelerada dos recursos naturais e do agravamentos das desigualdades sociais. A sociedade precisa despertar para a importância desse trabalho e o trabalho de comunicadores é essencial. Por esse motivo, comunicamos a Agroecologia de diversas formas, tais como em atividades diárias envolvendo agricultor@s e consumidor@s, em atividades educativas, na RadioGira (link), por meio de materiais educativos diversos (levar para o link dos cadernos), de filmes e reportagens (levar para os links dos filmes) e nas redes sociais.

Desenvolvemos projetos

Desde 1998 o Instituto desenvolve projetos socioambientais de Desenvolvimento Sustentável junto às comunidades onde atua. Estes projetos receberam apoios governamentais, tais como o Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA, Ministério de Ciência e Tecnologia – CNPq, Prefeitura municipal de Botucatu, Conselho da Criança e do Adolescente, entre outros. Recebemos apoios privados, com doações individuais de sócios contribuintes, doação internacional (Brazil Foudation) e doação de outras organizações como a FASE e a WWF-Brasil.

Conheça os principais projetos e programas

Programa de Educação para o Consumo Consciente – desde 2008

CProjeto Alimentação animal, geração de renda e melhoria da qualidade ambiental dos sistemas de produção animal – desde 2006.

Programa Gigante Guarani - Recuperação de nascentes e proteção da biodiversidade em corredores da Mata Atlântica sobre áreas de recarga do Sistema Aqüífero Guarani – desde 2006

Programa de apoio às mulheres e jovens na Agroecologia – desde 2005:

Segurança Alimentar e Geração de Renda nos Quintais;

Produção e beneficiamento de fitoterápicos produzidos por coletivos de mulheres de Itapeva

Formação de jovens rurais em Agroecologia

Programa de Formação de Quadros de ATER - formando jovens para o trabalho com Assistência Técnica e Extensão Rural Agroecológica – desde 2004

PROGERA - Programa de Extensão Rural Agroecológica de Botucatu e Região – desde 2001

Projeto de Coleta Seletiva de lixo em parceria com a ACERVI e prefeitura municipal de Cerqueira César – de 1998 até 1999

O Resultado deste trabalho está expresso nos números abaixo: